Vote Consciente: você sabe o que é Deep Fake?

Aqui na série de notícias informativas da campanha Vote Consciente já falamos bastante sobre as Fake News e seus perigos, principalmente em época de eleições. Mas você já ouviu falar na evolução deles em forma de vídeo? Talvez não, mas muito provavelmente você já viu na internet ou recebeu pelo whatsapp: . O nome tem origem na união de dois termos em inglês: (aprendizado profundo) e (falso). Tais vídeos são criados a partir do uso de uma ferramenta de Inteligência Artificial para reproduzir o rosto de qualquer pessoa de forma sincronizada e realística, em uma imagem sobreposta a outra pessoa real – veja ao final do texto um exemplo. Você já deve ter visto um desses vídeos, pois, em um primeiro momento, essa tecnologia vem sendo mais utilizada para cunho humorístico, e, nesse formato, eles podem até ser inofensivos. Mas muitas já foram usadas para fraudes e disseminação de , bem como têm o potencial de se tornarem perigosas, visto que são agentes de desinformação, sendo utilizadas de forma mal intencionada. E é aí que entra a época eleitoral na discussão, uma vez que um dos principais setores alvos de é a política. Através das manipulações de discursos de personalidades, figuras políticas e candidatos, uma pode viralizar na web e enganar ou induzir uma série de eleitores – acarretando em difamação, incitação à violência política ou até mesmo uma fraude eleitoral. Como prevenir De fato, o recurso é moderno e muito avançado, sua forma realista é suficientemente convincente para um grande número de eleitores que não saberiam identificar a montagem. Além disso, as estão cada vez mais acessíveis para seus “produtores”, não exigindo um grande conhecimento técnico em edição de vídeo para a montagem. Então o que fazer para não cair em mais uma armadilha de desinformação? A mesma lógica usada para a identificação de pode muito bem ser aplicada para desmascarar uma DUVIDE e CHEQUE. Quando você receber um vídeo pela rede social ou encontrar um em sites, onde apareça uma personalidade/candidato fazendo um discurso muito extravagante ou que parece fora de sua característica conhecida, não saia compartilhando logo de cara. Analise, veja com atenção, procure saber em locais de credibilidade se o conteúdo já está sendo noticiado e debatido. Se tais requisitos não forem cumpridos, ligue o alerta. Você provavelmente recebeu um conteúdo falso. Então faça sua parte e denuncie, pois você está exercendo um ato de cidadania ao acionar as ferramentas necessárias para confirmar se aquilo é verdade ou não. Afinal, não queremos que candidatos mentirosos e difamadores sejam eleitos e nos representem pelos próximos quatro anos, não é mesmo? Veja um exemplo de  
23/10/2020 (00:00)
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.