Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Foros Regionais da Capital contam com centrais de atendimento

Foros Regionais da Capital contam com centrais de atendimentoQuatro Foros da Capital passaram a contar com CAPs e CCs"Não é mais o milênio do papel, dos autos físicos. É a Justiça do Século 21." Com essa afirmação, a Corregedora-Geral da Justiça, Desembargadora Denise Oliveira Cezar, inaugurou, na tarde desta quarta-feira , as Centrais de Atendimento ao Público dos Foros Regionais do 4º Distrito, Sarandi, Partenon e Alto Petrópolis, em Porto Alegre. O serviço é destinado a partes e Advogados usuários do sistema eproc. Na ocasião, também foram instaladas as Centrais de Cumprimento Cartorário , responsáveis pelos procedimentos relacionados ao processo eletrônico adotado pelo Poder Judiciário gaúcho desde 2017.Não é mais o milênio do papel, mas a Justiça do século XXI,afirmou a Corregedora-Geral, Desembargadora Denise CezarPráticas inovadorasA Corregedora-Geral da Justiça revelou dados relativos à implantação do processo eletrônico e se declarou bastante otimista: "Essa mudança representará uma redução de 40% na duração dos processos. Isso é a melhor notícia, pois todos sabemos que este é o calcanhar de Aquiles do Judiciário. Mas não só isso: representará também uma redução de 68% no atendimento de balcão. E a liberação de 30% de área nos ambientes dos Foros, que poderão ser melhor utilizados pelos servidores e magistrados."Juiz Supervisor do Foro Regional do 4° Distrito,Laércio Luiz Sulczinski , salientou que foco do Judiciárioé a prestação de serviços à populaçãoNa avaliação da magistrada, a virtualização confere também uma maior valorização dos funcionários: "Deixam de realizar funções burocráticas e repetitivas e passam a atuar de forma mais efetiva e determinante em tarefas de maior complexidade intelectual".De acordo com a Desembargadora Denise, as centrais foram reconhecidas pelo Conselho Nacional de Justiça , em recente inspeção realizada no Rio Grande do Sul, como boas práticas a serem adotadas em todo o país. Para Juiz Supervisor do Foro Regional do Sarandi,Rodrigo de Souza Allem , inauguração das Centraisrepresenta a concretização do novo serviço judiciárioMelhoria da prestação jurisdicional e equipe qualificadaO Juiz Diretor do Foro da Comarca de Porto Alegre, Amadeo Henrique Ramella Buttelli, acompanhou todas as solenidades e destacou a conclusão de mais uma etapa do projeto. Falou da experiência positiva do Foro Central, que hoje canaliza todo tipo de pesquisa e informações num único setor. "Esperamos uma grande recepção do público. Que se preste uma informação qualificada e tenhamos um usuário satisfeito", afirmou. O Diretor do Foro de Porto Alegre ressaltou a qualidade do quadro funcional envolvido. E informou que o objetivo futuro é implantar o processo eletrônico na área criminal, voltada para condenados em cumprimento de medidas em meio aberto. "Isso evitaria que os presos tenham que se apresentar no Foro Central e possibilitaria que os residem que próximo aos Foros Regionais possam lá comparecer".Supervisor do Foro Regional do Partenon,Juiz Eduardo Ernesto Lucas Almada ,destacou o ganho em produtividadeA primeira unidade inaugurada foi a do 4° Distrito, zona norte da Capital. "O Judiciário se legitima pela prestação de serviços à população, e é isso que pretendemos fazer aqui", afirmou o Juiz Supervisor do Foro Regional do 4° Distrito, Laércio Luiz Sulczinski.O Juiz Supervisor do Foro Regional do Sarandi, Rodrigo de Souza Allem, destacou que a inauguração das Centrais representa a concretização do novo serviço judiciário, e também destacou a atuação das equipes funcionais. "Não podemos esquecer que, por trás desse trabalho, há pessoas. O processo eletrônico veio para ficar, mas não podemos esquecer dos servidores e dos juízes. Podemos promover informatização, agilização com o elemento humano." Juíza Supervisora do Foro Regional do Alto Petrópolis,Martinha Terra Salomon, mencionou o desafio da fase digitalNa zona leste da Capital, o Juiz Supervisor do Foro Regional do Partenon, Eduardo Ernesto Lucas Almada destacou o ganho em produtividade. "Vai contribuir de forma significativa para melhorarmos a prestação jurisdicional, com redução de custos e de pessoal." Já a Juíza Supervisora do Foro Regional do Alto Petrópolis Martinha Terra Salomon, mencionou o desafio da inclusão digital. "Estamos ingressando em um novo tempo da Justiça Estadual gaúcha. Ela, que nos últimos 11 anos, tem o reconhecimento do CNJ como a mais eficiente do país. Algo que nos orgulha, mas também faz crescer a nossa missão. E que não seria possível sem a dedicação dos nossos serventuários."CidadaniaRepresentantes da Ordem dos Advogados do Brasil acompanharam as cerimônias. Para Domingos Henrique Baldini Martin, coordenador das salas da OAB/RS nos Foros da Capital, "tudo que vem pra simplificar é fundamental porque ajuda também o sistema". O Advogado Marçal dos Santos Diogo, que representou a Ordem nos Foros Regionais do Sarandi e do Alto Petrópolis, agradeceu, pelo Poder Judiciário ter ouvido as demandas da classe, trazendo solução para problemas com sistemas antigos. Também parabenizou pela humanização do espaço. Já o Advogado Carlos Augusto Pio da Silva Ferrari, que esteve no Foro Regional do Partenon, afirmou que a chegada das Centrais dará um maior acolhimento às partes e defensores. PresençasO Juiz-Corregedor André Luís de Aguiar Tesheiner e a Assessora da CGJ Sharon Vivian, idealizadora do projeto de implantação das Centrais, acompanharam as solenidades.Prestigiaram a cerimônia no 4° Distrito o Juiz de Direito Márcio André Keppler Fraga, a Juíza-Corregedora Coordenadora Rosana Broglio Garbin e a Defensora Pública Luciana Kern. Também estiveram presentes no Sarandi as Juízas de Direito Patrícia Hochheim Thomé e Ivortiz Tomazia Marques Fernandes e a Promotora de Justiça Daniela Schilling de Almeida.No Partenon, a cerimônia contou com a presença dos Juízes de Direito Ruy Rosado de Aguiar Neto e Nelita Teresa Davoglio e da Promotora de Justiça Ivana Ferrazzo.  No Alto Petrópolis, participam o Juiz de Direito Paulo de Tarso Carpena Lopes e a Defensora Pública Bárbara Sartori. EXPEDIENTETexto: Janine SouzaAssessora-Coordenadora de Imprensa: Adriana Arendimprensa@tjrs.jus.br Publicação em Wed Nov 06 22:30:00 BRT 2019 Esta notícia foi acessada: 2 vezes.
07/11/2019 (00:00)
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.