Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

CEIR vai debater o racismo nos esportes em live

Após 2019 registrar recorde de casos de racismo no futebol brasileiro, a Comissão Especial da Igualdade Racial (CEIR) traz um importante debate na sua live semanal. Nesta quarta-feira (29), a partir das 18h, a comissão conversa sobre racismo nos esportes com duas figuras conhecidas no meio e que foram vítimas do preconceito racial: o ex-goleiro Aranha e o ex-árbitro Márcio Chagas da Silva. A conversa será transmitida ao vivo pelo Instagram @ceiroabrs. Segundo dados do Observatório da Discriminação Racial no Futebol, o ano de 2019 registrou recorde de casos de racismo no futebol brasileiro. Houve um crescimento de 27,2% em relação a 2018, registrando 56 ocorrências de injúria racial em 2019. A presidente da CEIR, Karla Meura, lembra que combater o racismo nos esportes está entre os objetivos da CEIR desde a sua criação: “Em julho de 2019, o presidente Ricardo Breier esteve no Gre-Nal de número 421, lançando a campanha: “Cartão Vermelho para o Racismo. Ninguém ganha quando existe preconceito", que visa a combater a discriminação racial no desporto e também na advocacia. Por isso, vamos dialogar com o goleiro Aranha e com o Márcio Chagas, atletas que vivenciaram vários episódios de racismo na carreira, para além dos casos específicos. Será uma oportunidade para refletir a respeito da sub-representação de atletas negros nos cargos decisórios dos clubes e federações”, reforça. Os dois casos emblemáticos vividos pelos convidados da live aconteceram em 2014, no Rio Grande do Sul. Durante uma partida de futebol pela Copa do Brasil, Santos e Grêmio se enfrentaram no estádio do time gaúcho. O então goleiro santista, Aranha sofreu xingamentos racistas durante o jogo e o caso ganhou grande repercussão. O outro convidado da live, o ex-árbitro de futebol, Márcio Chagas da Silva, foi considerado o melhor árbitro de futebol do Campeonato Gaúcho cinco vezes nos seus 15 anos de atuação. Também em 2014, após um episódio de racismo na partida entre Esportivo e Veranópolis pelo Campeonato Gaúcho, o árbitro decidiu encerrar a carreira, após ter denunciado o terceiro caso de racismo dentro do futebol.
28/07/2020 (00:00)
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.